Wilson Lima inaugura agroindústria de castanha-do-Brasil no município de Tapauá

O governador Wilson Lima inaugurou, neste sábado (08/08), a primeira agroindústria de castanha-do-Brasil – a agroindústria Abufari – Produtos Amazônicos, no município de Tapauá (a 449 quilômetros de Manaus). A fábrica vai gerar em torno de 350 empregos diretos e indiretos, e agregar valor ao produto na região.

O Amazonas possui agora 12 agroindústrias de beneficiamento da castanha-do-Brasil. Desse total, seis são formadas por Organizações da Sociedade Civil nos municípios de Amaturá, Boca do Acre, Beruri, Barcelos, Manicoré e Lábrea. As demais são da iniciativa privada estabelecidas em Manaus e nos municípios de Humaitá, Coari, Tefé, Itacoatiara e atualmente em Tapauá.

O Governo do Amazonas, por meio da Secretaria Estadual de Produção Rural (Sepror) e sua vinculada, Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Estado do Amazonas (Idam), ofereceu apoio através de políticas públicas e assistência técnica ao empreendimento.

Na ocasião, o governador entregou a licença ambiental para os representantes da empresa, legalizando dessa forma sua atuação no beneficiamento da produção e escoamento da castanha.

“É um empreendimento que está gerando emprego. São aproximadamente 350 empregos com a possibilidade disso aumenta. Há pelo menos 1.200 coletadores nessa região, e o que é mais importante, é que isso agrega valor. O produto já vai sair beneficiado que tem como objetivo o mercado nacional e perspectiva para mercado internacional. Isso é um ganho grande para essa região do Purus”, destacou o governador.

Após a solenidade,o governador foi à Escola Estadual Marizita onde fez a entrega de 500 cestas básicas e 200 kits de higiene e limpeza para a Associação de Produtores do Projeto de Desenvolvimento Sustentável, por meio da Secretaria de Assistência Social (Seas) e Fundo de Promoção Social e Erradicação da Pobreza (FPS).

Produção de castanha – A região do Rio Abufari apresenta a segunda maior produção de castanha do município de Tapauá, especificamente nas comunidades Fazenda do Abafuri e São Sebastião, Novo Paraíso, Bom intento e Guajau. Em 2019, a produção de castanha chegou a 6.650 toneladas. A meta do Idam é promover o aumento da produção estadual para 15.000 toneladas até 2022.

A castanha-do-Brasil é uma espécie de exploração extrativa da Amazônia. Para coletar seus frutos não é necessário o licenciamento ambiental, ação que não gera impacto à floresta, conservando assim o ambiente e contribuindo com o equilíbrio ecológico.

Agroindústria – A agroindústria possui área própria de produção de castanha, mas vai contar com a produção de 300 coletores extrativistas das comunidades Fazenda do Abafuri e São Sebastião que vão fornecer 2.607 hectolitro de castanhas in natura. Na fábrica, 50 pessoas vão trabalhar no processo fabril da castanha, que vão desde a quebra de ouriços a embalagem a vácuo.

A fábrica tem capacidade de produção de mais de 300 toneladas ao ano. A perspectiva é exportar até 80 toneladas de castanha-do-Brasil desidrata no primeiro ano. “Cerca de 98% da castanha oriunda do extrativismo era levada para a usina do estado do Pará. Essa situação gerava emprego e renda lá e não no Amazonas. Trouxemos a parceria com o Idam e promovemos curso de boas práticas de manejo da castanha para os castanheiros que vão fornecer as castanhas para a fábrica, para que consigamos gerar renda, receita e emprego para as pessoas de Tapauá”, explicou o presidente da empresa, Leonardo Baldissera.

Infraestrutura – Wilson Lima inspecionou o sistema viário do município que está recebendo serviços de terraplenagem, pavimentação em concreto armado e sinalização com pintura de faixa. As obras, executadas pela Secretaria de Estado de Infraestrutura e Região Metropolitana de Manaus (Seinfra), contemplam 26 ruas, totalizando 7,78 km de vias. O investimento é na ordem de R$ 4.712.002,06. A obra apresenta um percentual físico de 51,52%.

Novos projetos – Outro projeto que irá beneficiar o município de Tapauá, trata-se da obra de conclusão da construção do Núcleo de Estudo Superiores da Universidade do Estado do Amazonas (UEA). A obra será retomada pelo Governo do Estado. Está em análise também o estudo, por meio da Seinfra, do acesso de Tapauá à Rodovia BR-319 para melhorar a mobilidade dos cidadãos do município, conforme determinou o governador Wilson Lima.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here