Home / Amazonas / Sem receber há mais de cinco meses, cooperativas de saúde buscam apoio com David

Sem receber há mais de cinco meses, cooperativas de saúde buscam apoio com David

 

O presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam), deputado David Almeida (PSB), recebeu na manhã desta quinta-feira (8), representantes de 13 cooperativas médicas que buscam informações e apoio para conseguir receber pagamentos em atraso desde julho deste ano e pendências ainda de 2017.

Durante a reunião, os médicos relataram a falta de medicamentos e itens básicos, nos hospitais e prontos socorros, além da falta de pagamento aos fornecedores e alertaram para o risco de paralisações no serviço da saúde pública no Estado, já neste mês de dezembro, por conta do não pagamento dos profissionais da saúde. Estavam representados na reunião: Cooperclin, Itoam, Icea, Imed, Coopanel, Coopat, Coopanest, Igoam, Coopet, Cooap, Saap, CNA e Cardiobaby.

De acordo com um dos membros do grupo, o médico Ronaldo Camargo a visita ao presidente da Aleam, foi para buscar saber se o orçamento dos fundos da saúde acabou e como a Assembleia Legislativa do Estado pode levar uma pauta de votação para conseguir verba suplementar, ou de qualquer outro fundo ou verba possível para ajudar a cobrir esses débitos. “E se precisar da aprovação da Assembleia, que esqueçam as divergências políticas pelo bem da saúde pública”, comentou.

David, que na quarta-feira (7) anunciou a superação de todas as datas-bases e reajustes dos servidores do Poder Legislativo estadual, garantiu que tudo que o governo mandar como solução à causa dos profissionais da saúde do Estado, ele defenderá junto aos seus colegas parlamentares na tribuna. “Se a solução para os débitos precisar de liberação por meio de votação na Assembleia, eu faço questão de chamar os colegas para colaborar com essa solução. Eu quero é o bem do Amazonas. A saúde da população está acima das questões partidária”, disse.

Segundo Camargo, o Estado vem acumulando atrasos junto às empresas que prestam serviço de saúde desde 2017 que só estão aumentando. “O que vai acontecer é que nós estamos no final do ano, as pessoas estão precisando honrar com os seus compromissos e as empresas também com os impostos. Há os recessos de final de ano, como o da Sefaz-AM que fecha de 15 a 17 de dezembro e só reabre final de janeiro. Nesse horizonte, estamos achando que o governo só vai pagar apenas uma competência às cooperativas neste ano”, disse.

Os representantes informaram que, para algumas empresas que não têm débito de 2017, tem muitas empresas com atraso desde junho e eles devem pagar agora julho. “Se fechar o ano pagando apenas uma competência, as cooperativas vão ficar num total de cinco meses em atraso deste ano, e mais o que está faltando de 2017”, explicou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *