Home / Capa / Secretário de saúde Francisco Deodato diz que não falou em “rombo” e afirma ter sido “mal entendido”

Secretário de saúde Francisco Deodato diz que não falou em “rombo” e afirma ter sido “mal entendido”

Em entrevista nesta sexta-feira (13), ao Programa Manhã de Notícias, da Rede Tiradentes o secretário de Saúde, Francisco Deodato, depois de ser chamado de “irresponsável” pelo deputado David Almeida (PSD), presidente da Assembleia Legislativa do Estado, preferiu usar a cautela. Ele afirmou que não usou termos como “rombo” ou “desvio” quando apresentou as informações que disse ter recebido da equipe de transição do governador interino. “Eu falei em déficit”.

Deodato disse ter sido “mal entendido e que o que falou foi deturpado, tratado como um ato político”.

Nunca proferi palavras como rombo, desvio. O que apresentei é o que eu havia recebido de informações de que a Susam tem um déficit. E nem apontei nome de ninguém”, acrescentou o secretário, afirmando que se quer mencionou o nome do governador interino, David Almeida.

A respeito de sua visita na semana passada ao presidente do Tribunal de Contas do Estado, conselheiro Ari Moutinho e ao Ministério Público, onde conversou com o procurador-geral de Justiça, Fábio Monteiro, Deodato garantiu que falou apenas dos contratos da Susam.

O secretário disse ao jornalista Ronaldo Tiradentes, que a Susam tem hoje 476 contratos no valor de R$ 394 milhões que não estão previsto no orçamento. Informou ainda que R$ 178 milhões são de serviços prestados, já encerrados se e não renovado. Deodato acrescentou que existem uma despesa reconhecida a ser paga de R$ 575 milhões e um resto a pagar de R$ 87 milhões do ano passado (2016).

Francisco Deodato informou no programa que os contratos ainda em vigor serão todos revistos. “O Estado não pode pagar sem saber o que está pagando. Identificamos caso que há uma contratação maior que o valor do dinheiro disponível para o pagamento”, relatou, afirmando que as empresas estão batendo na porta da Susam para receber, e ele garantiu que irão ser pagar, mas primeiro será estabelecido às condições de pagamento.

Irresponsável

Na volta do deputado estadual David Almeida (PSD) na última terça-feira (10) a presidência da Assembleia Legislativa do Estado depois de passar cinco meses à frente do Governo do Estado foi marcada por um discurso inflamado onde o parlamentar chamou o secretário de Saúde, Francisco Deodato, de “irresponsável” e que ele iria levar muita “peia” na Casa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *