Polícia Civil intercepta grupo criminoso que pretendia roubar casa lotérica no município de Borba

 

A Polícia Civil do Amazonas, representada pelo delegado-geral adjunto da instituição, Orlando Amaral, e pelos delegados Guilherme Torres e Demetrius Queiroz, titular e adjunto, respectivamente, da Delegacia Especializada em Roubos, Furtos e Defraudações (Derfd), falou, na manhã desta sexta-feira (11/01), durante coletiva de imprensa realizada às 11h30, no prédio da Derfd, sobre as prisões, em flagrante, de cinco indivíduos por roubo majorado tentado e participação em organização criminosa. Com os infratores foram apreendidos dois revólveres e munições.

De acordo com o titular da Derfd, o grupo foi interceptado da manhã de quinta-feira (10/01), durante ação envolvendo as equipes da especializada, policiais civis lotados na Delegacia Fluvial (Deflu) e 74ª Delegacia Interativa de Polícia (DIP), situada em Borba. O fato ocorreu no momento em que o bando se preparava para roubar uma casa lotérica naquele município, distante 151 quilômetros em linha reta da capital.

Foram presos ao longo da ação Gervásio Correia Lima Junior, 28, conhecido como “Junior”, apontado como líder do bando; Josiel Marques da Silva, 23; Keverson Pereira da Costa, 20; Kevin Pereira da Costa, 25, e Ronaldo Lindoso Aniseto, 20.

Conforme Guilherme Torres, as prisões iniciaram por volta das 11h30, com as interceptações de Josiel, Keverson, Kevin e Ronaldo, em frente a uma residência na rua Santo Antônio, bairro Centro, em Borba. Já Gervásio foi preso momentos depois, na casa onde estava, situada na rua Manoel Gomes Leal, bairro Cristo Rei, naquele município.

Apoio – Na ocasião da coletiva, o delegado-geral adjunto falou do apoio logístico disponibilizado pela Polícia Civil para a ação. “A instituição prestou todo o apoio logístico, tanto aéreo, quanto fluvial, para a Derfd deflagrar a ação policial e tirar de circulação esses indivíduos de alta periculosidade que pretendiam roubar a casa lotérica no município de Borba. Nesse caso especifico, também contamos com o suporte da Secretaria de Estado de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM)”, declarou Orlando Amaral.

Investigação – De acordo com o delegado Guilherme Torres, titular da Derfd, as diligências em torno do caso foram iniciadas após a equipe de investigação da especializada tomar conhecimento de que uma organização criminosa envolvida em roubos ocorridos na capital teria saído de Manaus no dia 6 de janeiro deste ano com destino a Borba, onde pretendia roubar uma casa lotérica naquela cidade.

Conforme Torres, as equipes da Derfd, com o apoio da Deflu, deslocaram-se até Borba, onde avistaram Josiel, Keverson, Kevin e Ronaldo em atitude suspeita. Dois deles estavam em uma motocicleta e um terceiro homem sozinho, em uma outra moto, aguardando o comparsa, que estava saindo de uma casa, nas proximidades da casa lotérica que seria alvo da ação criminosa.

“Recebemos informações de que esta organização criminosa estaria se deslocando de Manaus para Borba, onde tinha planos de roubar uma lotérica. Nos foi disponibilizado apoio fluvial, aéreo e terrestre. Os indivíduos sabiam que haveria o recebimento de uma quantia significativa de dinheiro na casa lotérica e, antes que eles chegassem ao local, as equipes realizaram a interceptação desses elementos. Instauramos um Inquérito Policial (IP) em torno do caso com o intuito de aprofundarmos a investigação e averiguarmos a participação de outras pessoas no grupo criminoso”, explicou Guilherme Torres.

Diligências – O delegado Demetrius Queiroz destacou que as equipes policiais realizaram em três dias de campana o levantamento do local onde o grupo estava. “Inicialmente, eles estavam escondidos em um sítio. Dois dias depois, eles foram para uma casa bem próxima à casa lotérica, em Borba. As equipes se anteciparam à ação dos infratores, até para preservar a integridade física dos clientes e funcionários da lotérica, bem como dos policiais, evitando qualquer tipo de confronto”, informou.

Queiroz explicou que, após as prisões, os cinco infratores confessaram que pretendiam roubar R$ 150 mil da casa lotérica. O adjunto da Derfd disse, ainda, que o líder do grupo seria “Junior”. O infrator tem passagem pela polícia por tráfico de drogas. “Tudo indica que Gervásio estava com dívidas relacionadas ao tráfico de drogas. Então, ele cooptou os comparsas para efetuar o roubo em Borba, com o intuito de pagar essa dívida”, disse o delegado adjunto da Derfd.

Materiais apreendidos – Na primeira abordagem, que resultou nas prisões dos quatro infratores, foram encontradas em posse deles duas armas de fogo, com as numerações suprimidas, sendo um revólver calibre 32, com quatro munições intactas, e um revólver calibre 38, com três munições não deflagradas. Em seguida, os policiais se deslocaram até à casa onde Gervásio estava e realizaram a prisão dele. No lugar foram encontradas mais três munições de calibre 38 intactas.

Flagrante – Gervásio, Josiel, Keverson, Kevin e Ronaldo foram autuados em flagrante por roubo majorado tentado, organização criminosa e posse ilegal de arma de fogo de uso restrito. Ao término dos procedimentos cabíveis na Derfd, o bando será levado para Audiência de Custódia no Fórum Ministro Henoch da Silva Reis, bairro São Francisco, zona sul da capital.

FOTOS: ERLON RODRIGUES/PC-AM

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here