Municípios podem ter autonomia na Saúde

A proposta do governador José Melo (Pros), divulgada em fevereiro deste ano, de municipalizar a saúde nas cidades do interior do Amazonas, repassando para as respectivas prefeituras programas destinados à administração das unidades de saúde e mantendo o repasse de verba, ainda não tem previsão para chegar à Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam), conforme explicou o deputado e líder do governo na casa, Sabá Reis (PR).

A sugestão do governo em transferir para as prefeituras a administração do sistema de saúde foi dada em encontro de novos gestores no dia 14 de fevereiro. De acordo com Sabá Reis, Melo ainda não repassou a proposta em forma de mensagem governamental para a casa legislativa, uma vez que a proposta está sendo elaborada e o governador está em fase de diálogo com os prefeitos dos municípios.

Sabá explicou que o governo entende que os prefeitos é que deveriam estar à frente da administração pelo fato de estar perto das demandas. “Ele que se depara com as demandas e teria autonomia política e gestão para tocar o hospital, sem que o governo tivesse mais a responsabilidade de indicar diretor, sem se eximir de transferir os repasses que faz hoje. O governo vai continuar financiando, sem retirar nada de apoio, dando apenas para as prefeituras a administração”, pontuou.

Na avaliação do deputado, a municipalização poderia acontecer em outros setores, principalmente em serviços essenciais, como educação. “Já vi o governador tratar com vários prefeitos sobre isso e eles ficaram satisfeitos com a proposta. A intenção é manter os compromissos, mas saindo da responsabilidade de administrar. Não acredito que quando a proposta chegar à Assembleia, os deputados se posicionarão ao contrário, porque é um avanço. José Melo está abrindo mão de poder político”, reforçou Sabá.

Projeto

Foi para sanção do governador o projeto de lei de nº 22/2017, de autoria de Sabá Reis, que denomina o Centro de Educação de Tempo Integral Arindal Vinícius da Fonseca Reis, o logradouro público do governo do Estado do Amazonas, localizado na alameda José Cleto de Oliveira – bairro Rocinha, no município de Manicoré.

De acordo com Sabá, Arindal Vinícius da Fonseca Reis nasceu no dia 12 de abril de 1929, na cidade de Manicoré. Ele é considerado no município como contador de estórias e histórias, escritor, poeta e compositor. Contava e retratava histórias de Manicoré, retratando seus contos e encantos com a simplicidade de um caboclo sonhador.

“Foi um dos maiores valores culturais de Manicoré, contribuindo para o enriquecimento sociocultural do município. Dentre as suas composições, o poema ‘Rio Atininga’, que foi musicado e interpretado pelo jovem Jânio Timóteo Araújo, primeiro colocado no 1º Festival de Música em Manicoré”, contou.

Arindal atuou também na política como vereador mais votado na eleição no ano 1975. Foi eleito presidente da Câmara de Vereadores, para 1º e 3º biênios legislativos, uma vez que o mandato de prefeito e vereador, por ato da Justiça Eleitoral à época, foi prolongado por 6 anos para coincidência
de mandato.

Diogo Dias
EM TEMPO

você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.