Home / Capa / Manaus se prepara para ataques terroristas durante as Olimpíadas

Manaus se prepara para ataques terroristas durante as Olimpíadas

Manaus/AM – Faltando nove dez dias para o início dos Jogos Olímpicos Rio 2016, as Forças de Segurança que vão atuar em Manaus durante os jogos do Torneio Olímpico de Futebol apresentaram a estrutura que será utilizada na operação. Serão seis mil agentes de 41 instituições que incluem Forças Armadas, Polícias Militar, Civil e Federal, Bombeiros, órgãos da Inteligência entre outros órgãos do Estado e do Município, além de 80 viaturas, 40 motocicletas, 12 embarcações, quatro blindados e cinco helicópteros.

Manaus vai sediar três rodadas duplas do torneio de futebol nos dias 4, 7 e 9 de agosto na Arena da Amazônia: dia 4 de agosto (quinta-feira) às 18h, Suécia x Colômbia e às 21h, Nigéria x Japão; dia 7 de agosto (domingo) às 18h, Suécia x Nigéria e às 21h, Colômbia x Japão; e dia 9 de agosto (terça-feira), às 18h, futebol feminino entre Colômbia x Estados Unidos e às 21h, África do Sul x Brasil.

Combate ao terrorismo – O secretário da SSP, Sérgio Fontes, destacou a integração das ações que faz com que a operação esteja preparada para todas as circunstâncias, inclusive o combate ao terrorismo. “O trabalho de combate ao terrorismo é dividido na parte de inteligência, onde temos a Abin (Agência Brasileira de Inteligência), a Seai (Secretaria Adjunta de Inteligência), a Policia Federal e todos os demais que estão trabalhando. No eixo da defesa e da segurança, as forças táticas  estão unidas e preparadas para trabalhar em conjunto, inclusive com ameaças químicas, radiológicas de todos os tipos. Na parte de segurança pública, nós já dividimos em protocolos e vamos estar protegendo intensamente as delegações e os locais  de aglomeração, como a Ponta Negra, Largo São Sebastião e a Arena”.

Além do Exército, a Marinha e Aeronáutica estarão focadas na proteção e na defesa nacional com operações na terra, na água e no ar. “Nós transformamos a área da Arena da Amazônia numa bolha de proteção em que os órgãos de controle do espaço aéreo estarão monitorando qualquer tráfego que por ventura queira penetrar, atravessar ou cruzar essa linha de segurança. Para tanto, temos os dispositivos de alarme e de acionamento de aeronaves nossas que estarão inclusive pousadas no Aeroporto Internacional Eduardo Gomes. São duas aeronaves de defesa aérea que prontamente poderão decolar e fazer a interceptação e até, se for o caso, a destruição dessa aeronave invasora se não for identificada em tempo hábil”, declarou o comandante do 7º Comar, Major brigadeiro Waldeisio Ferreira Campos.

Já a Marinha do Brasil participará da defesa e do monitoramento das estruturas estratégicas, com fuzileiros navais do controle fluvial e patrulha naval nos rios,  além de atuar  com uma equipe de negociação junto ao Exército e também dentro da equipe de NQBR (Defesa Nuclear, Química, Biológica e Radiológica).

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *