Justiça bloqueia R$ 1,4 mi de prefeito de Lábrea (AM) processado pelo MPF por improbidade

IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA E COMBATE À CORRUPÇÃO
19 DE SETEMBRO DE 2018 ÀS 11H30

Justiça bloqueia R$ 1,4 mi de prefeito de Lábrea (AM) processado pelo MPF por improbidade

Imprimir

Gean Campos de Barros não aplicou devidamente recursos repassados pela União ao município para obras de infraestrutura urbana

 

 

Justiça Federal determinou, em caráter liminar, o bloqueio de R$ 1,4 milhão do prefeito de Lábrea Gean Campos de Barros (AM), a pedido do Ministério Público Federal (MPF) no Amazonas, em ação de improbidade administrativa, ajuizada por conta de irregularidades na execução do Convênio nº 288/PCN/2009, firmado em 2009 com o governo federal, no âmbito do projeto Calha Norte.

De acordo com o MPF, o prefeito recebeu R$ 1 milhão em recursos públicos para realização de obras de calçada, meio-fio e sarjeta no município, em duas parcelas de R$ 500 mil, nos anos de 2010 e 2011. No entanto, vistoria realizada pelo Ministério da Defesa mostrou que apenas 12,72% dos trabalhos haviam sido concluídos.

“Foi constatada a in loco inexecução de mais de 80% do objeto conveniado, tendo havido perda patrimonial e possível desvio de recursos públicos, uma vez que, ao mesmo tempo em que a população não foi beneficiada com a obra, os recursos não voltaram aos cofres da União”, destaca a decisão judicial que determinou o bloqueio do valor.

A Justiça entendeu haver indícios de responsabilidade suficientes para ensejar a necessidade e urgência da decretação da indisponibilidade de bens, com o objetivo de assegurar o ressarcimento ao patrimônio público, correspondente ao dano causado pelo mau uso dos recursos, em valores atualizados.

O processo segue tramitando na 3ª Vara Federal no Amazonas, sob o número 1002237-32.2017.4.01.3200.

Conduta reincidente – Gean Campos de Barros também é réu em outra ação de improbidade administrativa movida pelo MPF pela não prestação de contas do Convênio nº 463/PCN/2010, firmado para execução de obra de infraestrutura urbana. Em decisão liminar, proferida em fevereiro deste ano, o MPF obteve o bloqueio de R$ 1.657.800 em bens do prefeito.

Em dezembro de 2017, o prefeito de Lábrea também foi denunciado criminalmente pelos mesmos fatos. A ação como base o Decreto-lei nº 201/67, que responsabiliza gestores municipais quando não há aplicação correta dos recursos repassados pela União. Além do ressarcimento integral dos danos causados ao erário, o réu pode ser condenado a pena de dois a 12 anos de prisão.

 

Assessoria de Comunicação
Procuradoria da República no Amazonas

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here