Home / Capa / Integrantes da FDN presos na Colômbia esperam trâmites diplomáticos para traslado ao Brasil

Integrantes da FDN presos na Colômbia esperam trâmites diplomáticos para traslado ao Brasil

Os narcotraficantes Afonso Celso Caldas de Lima, de 37 anos, o “Celsinho” e Gregório Graça Alves, conhecido como Mano G, de 30, capturados no município de Puerto Boyacá, departamento de Boyacá, em uma operação da Procuradoria e do Exército já estão à espera de trâmites diplomáticos para seu traslado ao Brasil.

“Celsinho” e Mano G integram a facção criminosa Família do Norte (FDN) e fugiram da prisão no Brasil, o primeiro em maio de 2016 e em fevereiro de 2015.

Os dois eram procurados por tráfico de drogas, homicídio e extorsão, explicou a Procuradoria colombiana.

Afonso e Mano G entraram em março na Colômbia depois de cruzar a Amazônia brasileira e chegar por via terrestre a Puerto Boyacá, onde segundo as autoridades pretendiam estabelecer “vínculos” com o Clã do Golfo, principal organização narcotraficante na Colômbia.

Alta periculosidade

Considerado pela polícia um bandido de alta periculosidade, Mano G. Em 2013, juntamente com Genildo da Silva Saraiva, o “Candiru”, já morto e Alan de Souza Castimário, o “Nanico”, líderes da Família do Norte foram parar no presídio federal.

Em um rap o nome de Mano G, é exaltado pelos bandidos “aqui na frente do bagulho quem tá aí é o Mano G”. No mesmo funk eles falam de quem manda é o mano “Perna” se referindo a Nanico, que de acordo com os funkeiros, mata e ainda esquarteja quem se rebela contra a FDN.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *