Noticias Do Sul Do Amazonas

Governo do Amazonas apoia realização do 1º Circuito de Vaquejada do Amazonas, em Manaus

Segunda etapa do evento aconteceu no sábado (30/04), no parque da Assovam, no Tarumã

O Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado de Produção Rural (Sepror), apoiou a realização da segunda etapa do Circuito de Vaquejada da Associação dos Vaqueiros do Amazonas (Assovam), realizada no sábado (30/04), no parque da associação, bairro Tarumã, zona oeste de Manaus.

O Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Estado do Amazonas (Idam), Agência de Defesa Agropecuária e Florestal do Estado do Amazonas (Adaf) e Agência de Desenvolvimento Sustentável do Amazonas (ADS), também participaram do evento, por meio de seus representantes.

O titular da Sepror, Petrucio Magalhães Júnior, destacou que a retomada dos esportes equestres no Amazonas faz parte de um planejamento do Governo do Estado.

“O Programa Agro Amazonas já previa investir nos esportes equestres e nas feiras agropecuárias, por entender que eventos como este geram empregos e oportunidades, tudo de que o estado precisa hoje em sua economia, proporcionando satisfação à população”, afirmou.

Ao parabenizar a diretoria da Assovam e todos os envolvidos no evento, Petrucio disse ainda que, pela magnitude do evento, não teria como o Governo do Amazonas não participar, para o que indicou o Sistema Sepror, via Adaf, ADS e Idam.

“A Adaf cuida da sanidade dos animais, que passam por exames, são submetidos aos cuidados de médicos veterinários, de tratadores, e outros profissionais envolvidos neste processo. Temos também a participação do Idam e da ADS, ajudando com a infraestrutura, garantindo atendimento com tendas, banheiros químicos, sonorização e toda ajuda que se fizer necessária. É um esporte com muita cultura envolvida, é tradição, além do que todos os participantes amam este esporte”.

O secretário de Produção Rural acrescentou que a retomada das manifestações esportivas ligadas às competições equestres não se restringe à capital.

“O governador Wilson Lima determinou que nossa ação chegue também ao interior. Para isso fizemos um levantamento de todas as feiras agropecuárias do estado, e ficamos felizes porque, depois de dois anos de pandemia, os eventos voltaram com toda força, em todos os municípios. São muitas festas tradicionais que mostram a importância do setor primário para a economia do estado. Assim, estamos presentes no interior também”, reforçou.

Circuito – A competição aconteceu na “Cidade dos Vaqueiros”, parque de propriedade da Assovam. Já a preparação dos vaqueiros participantes do Circuito aconteceu na chácara Santa Maria, próxima à sede.

Também na chácara são cuidados cerca de 500 animais, entre bois e cavalos, utilizados durante a vaquejada, que na segunda etapa classificou seis vaqueiros aspirantes (competidor com nível técnico mediano, com desempenho regular no esporte) e três amadores (competidor com um nível técnico bom ou elevado, com desempenho superior aos aspirantes).

“Gostaria de deixar registrado nosso agradecimento ao Governo do Estado. Sem o apoio que foi dado à Assovam, pelo Sistema Sepror, não teríamos como conseguir realizar o torneio em nosso parque”, disse Evandro Alves, presidente da associação.


Ainda segundo Evandro, ao final da temporada, toda a boiada será vendida e o plantel será renovado para a competição do ano seguinte.

“A iniciativa de comprar os bois competidores e depois vender ao final da temporada se torna mais prática, a partir do fato de que não encontramos, nas proximidades de Manaus, animais suficientes disponíveis para aluguel. Além da dificuldade de transporte daqueles eventualmente disponíveis, para estarem nos locais de competição nas datas previstas, sem que possam estar sujeitos a algum acidente ou qualquer outro problema que os impeça de competir”, acrescentou.

O apoio do Governo do Amazonas viabiliza mais organização, profissionalização dos participantes e agilidade junto todos os órgãos oficiais envolvidos, entre eles o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento; a Adaf, que fiscaliza as normas sanitárias exigidas; e a Associação Brasileira de Vaquejada (ABVAQ), que regulamenta as vaquejadas e garante o cumprimento das exigências do Termo de Ajustamento e Conduta (TAC) em alinhamento com o Ministério Público Federal (MPF) para garantia do conforto e segurança dos animais.

FOTOS: Jhota Mendonca/Sepror

você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.