Estudantes da educação básica elaboram mangá sobre tratamento e consumo consciente da água

O projeto é apoiado pelo Governo do Amazonas, por meio do Programa Ciência na Escola, da Fapeam

Estudantes do 6º ano da Escola Estadual Jairo da Silva Rocha, zona leste de Manaus, produziram mangá (história em quadrinhos em estilo japonês), a partir do projeto “O mangá na educação ambiental: uso sustentável da água”, apoiado pelo Governo do Estado, via Programa Ciência na Escola (PCE) – edital Nº 004/2021, da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam).

O PCE é um programa criado pela Fapeam, desenvolvido em parceria com a Secretaria de Estado de Educação e Desporto e Secretaria Municipal de Educação (Semed-Manaus), que apoia projetos de pesquisa em âmbito da educação básica.

Intitulado com o nome “A Última Gota”, o mangá produzido em dez páginas foi disponibilizado em versões impressas para os alunos de duas turmas do 6º ano da escola, alcançando aproximadamente 100 estudantes.

De acordo com a coordenadora, professora de Biologia Anna Carla Paixão, a história explica na forma de desenho como funciona o tratamento de água, formas de economizar o consumo e a importância do recurso natural para a vida humana e animal e do planeta.

“O primeiro passo do processo criativo foi definir o roteiro da história, as características e nomes dos personagens e o ambiente em que a história ocorreria. Para falar do tema tivemos que pesquisar sobre o tratamento de água, a quantidade de água potável existente na Terra e sua conservação”, explicou.

Período e Apoio

Iniciado em agosto e concluído em dezembro de 2021, o projeto “O mangá na educação ambiental: uso sustentável da água” recebeu investimento da Fapeam para o seu desenvolvimento.

“Este projeto eu gostei muito de fazer, porque fazer pesquisa na escola estimula muito os alunos. Neste caso, temos a importância de mostrar a arte feita pelos estudantes. E, essa bolsa da Fapeam ajuda os alunos nisso”, comentou a professora sobre a oportunidade.

Edição 2022

A edição 2022 do Programa Ciência na Escola recebeu 1.811 inscrições, um número recorde de propostas submetidas em toda trajetória do programa. Este ano, o edital apoia 974 propostas. Cada projeto será contemplado com uma bolsa Professor Ciência na Escola e três bolsas de Iniciação Científica Tecnológica Júnior (ICT/JR), para estudantes.

O PCE apoia a participação de professores e estudantes do 5º ao 9º ano do ensino fundamental, da 1ª à 3ª série do ensino médio e suas modalidades: educação de jovens e adultos, educação escolar indígena, atendimento educacional específico e Projeto Avançar, em projetos de pesquisa desenvolvidos em escolas públicas estaduais sediadas no Amazonas e municipais de Manaus.

FOTOS: Divulgação/Acervo da coordenadora do projeto Anna Carla Paixão

você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.