Home / Amazonas / Diário do Amazonas mente ao dizer que a AFEAM aplicou em ‘banco paralelo’ com aval de Afonso Lobo

Diário do Amazonas mente ao dizer que a AFEAM aplicou em ‘banco paralelo’ com aval de Afonso Lobo

O secretário estadual de Fazenda Afonso Lobo divulgou nota nesta terça-feira, chamando de “mentirosa” a informação dada hoje (27) pelo jornal Diário do Amazonas, de que a Agência de Fomento do Estado do Amazonas (Afeam) fez aplicação em ‘banco paralelo’ com o aval dele.

 

“No caso específico abordado maliciosamente pelo jornal Diário do Amazonas, sobre o investimento da Afeam no Fundo de Investimentos em Participações Expert (FIP Expert), de que eu teria dado aval para a realização de tal investimento, esclareço que a afirmativa é mentirosa, pois não é atribuição do Conselho decidir sobre investimentos da Agência. O Conselho apenas analisa, com base em relatórios apresentados pela Diretoria, se a política de investimentos está sendo conduzida de forma adequada, e não sobre casos específicos”, ressalta Afonso Lobo na nota.

Veja a íntegra da nota:

 

NOTA DE ESCLARECIMENTO

 

Em nova manchete desta terça-feira, 27 de dezembro, o jornal Diário do Amazonas afirma “Afeam aplicou em ‘banco paralelo’ com aval de Afonso Lobo’”, torna a utilizar informações superficiais com o objetivo de confundir a opinião pública, para formar juízo de valor contra a minha pessoa como forma de retaliação por eu ter contrariado interesses econômicos desse Grupo de comunicação dentro da Sefaz, como já tornei público à sociedade.

 

Cada manipulação torna-se oportunidade de os calarmos com a verdade e de mostrarmos o padrão de comportamento falacioso, que não pode ser classificado de jornalismo. Cada uma das mentiras publicadas tem ficado no lixo da história, e não será diferente com a manchete de hoje.

 

1 – A foto que ilustra a matéria mostra a manipulação de forma clara. O texto apenas diz que “à vista do parecer dos auditores independentes” as contas encontram-se em ordem e devem ser “submetidos à apreciação da Assembleia de acionistas”. Nenhuma ilegalidade na afirmativa, mas a matéria tenta iludir seu leitor, como se ali estivesse a autorização a que se refere a manchete, em grosseiro desrespeito a inteligência do leitor.

 

2 – De fato, a Agência de Fomento do Estado do Amazonas (Afeam) tem em seu processo de governança a submissão a diversos mecanismos de controle e auditoria, seja interna, seja externa, que informam ao Conselho de Administração sobre a pertinencia dos atos de gestão;

 

3 – O Conselho de Administração é consultivo e não executivo. A rigor, não é imprescindível para a gestão de uma empresa, tanto assim que, no caso da Afeam, o mesmo foi extinto em abril de 2015;

 

4 – Fiz parte do Conselho de Administração da Afeam de 2014 a abril de 2015, juntamente com o ex-presidente da Agência e o então Chefe da Casa Civil do Estado, Raul Zaidan;

 

5 – No caso específico abordado maliciosamente pelo jornal Diário do Amazonas, sobre o investimento da Afeam no Fundo de Investimentos em Participações Expert (FIP Expert), de que eu teria dado aval para a realização de tal investimento, esclareço que a afirmativa é mentirosa, pois não é atribuição do Conselho decidir sobre investimentos da Agência. O Conselho apenas analisa, com base em relatórios apresentados pela Diretoria, se a política de investimentos está sendo conduzida de forma adequada, e não sobre casos específicos;

 

6 – Ressalto que os relatórios apresentados pela Diretoria ao Conselho de Administração sempre deixaram claro que as aplicações da disponibilidade de caixa da Afeam eram lastreadas em título públicos federais. Além do mais, todos relatórios, posteriormente, foram submetidos a auditorias internas e externas, sem que as mesmas tenham feito qualquer ressalva sobre esse assunto;

 

7 – Assim que foi identificado que havia outros investimentos, além dos lastreados em títulos federais, a diretoria executiva foi orientada a adotar todas as medidas legais cabíveis para rescisão do contra
to e posterior afastamento da diretoria, além da constituição de uma comissão que analisa o caso em profundidade, com o objetivo de resguardar os interesses públicos dos recursos da Agência de Fomento, que desenvolve um trabalho social de grande alcance;

 

8 – Importante destacar que foi neste governo que o foco da Agência saiu do financiamento a grandes empresários, destinando-se exclusivamente ao micro-crédito, beneficiando com essa política milhares de famílias em todo o Amazonas;

 

9 – Por fim, informo que já interpelei judicialmente a Rede Diário de Comunicação, para que prove suas acusações levianas. A interpelação é ação preparatória para outras de reparação de danos morais, entre outros.

 
Manaus, 27 de dezembro de 2016

Afonso Lobo Moraes
Secretário de Estado da Fazenda

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *