Com ampliação de leitos, Hospital Francisca Mendes deverá realizar 400 cirurgias cardíacas até o final do ano

 

Governo do Estado dobrou oferta de cirurgias na unidade

O governador do Amazonas, Wilson Lima, visitou o Hospital Universitário Francisca Mendes (HUFM), no bairro Cidade Nova, zona norte de Manaus, na manhã desta quarta-feira (01/05). A unidade, que é referência em cardiologia no estado e na região Norte, recebeu a implantação de uma nova sala cirúrgica e oito leitos de UTI pós-cirúrgicos, aumentando de 28 para 56 a capacidade de realização de cirurgias semanais, sendo 40 em adultos e 16 em crianças. A nova estrutura montada no HUFM vai permitir a redução do tempo de espera de quem está aguardando pelo procedimento.

“Nosso objetivo é fazer com que haja um controle da fila de espera por cirurgias cardíacas. A meta é, até o final desse ano, fazer 400 cirurgias. Levando em consideração que nós fazemos procedimentos não só dos pacientes que moram aqui no estado do Amazonas, mas também de estados vizinhos que acabam vindo para cá, como Acre, Rondônia, Roraima, Pará, além de imigrantes venezuelanos, peruanos. Nós somos muito demandados”, disse o governador, ressaltando que o Amazonas é o único estado da região Norte, além do Pará, a ofertar cirurgia cardíaca na rede pública.

De acordo com o titular da Secretaria de Estado da Saúde (Susam), Rodrigo Tobias, a fila de espera por cirurgias cardíacas cresceu, nos últimos anos, porque o HUFM perdeu leitos de UTI e teve uma das quatro salas cirúrgicas desativadas por falta de equipamentos.

“O hospital Francisca Mendes foi a primeira unidade que eu visitei e estou retornando aqui para entregar esses resultados. Nós tínhamos um passivo desde 2017 de crianças e adultos que estavam na fila, à espera de um procedimento cirúrgico. Esse espaço estava sendo subutilizado. Fizemos a aquisição de alguns equipamentos, a requalificação de algumas salas e o remanejamento de pessoal”, pontuou Wilson Lima.

Novos equipamentos – Segundo Rodrigo Tobias, a nova gestão fez a aquisição de equipamentos – 12 monitores, três carrinhos de anestesia, quatro ventiladores e cinco cardioversores – para montar os leitos de UTI e a sala cirúrgica. As três primeiras cirurgias realizadas utilizando a nova estrutura serão realizadas nesta quinta-feira (02/05).

“Ainda precisamos trabalhar muito para uma saúde de excelência. O que a gente tem feito até esse momento é uma prova de que saúde é prioridade nesse governo. Posso afirmar e assegurar que o que a gente já fez nesses primeiros 100 dias é superior ao que muitos que passaram por aí não conseguiram fazer”, enfatizou o governador.

Outros avanços – As melhorias no Hospital Francisca Mendes proporcionaram também a redução nos procedimentos da hemodinâmica. Em janeiro desse ano, 1.931 pessoas aguardavam na fila do Sistema de Regulação (Sisreg) pra fazer cateterismo cardíaco e outros procedimentos como angioplastia, arteriografia de membro, embolização e angiografia cerebral. Em abril, caiu para 684 pessoas. Já entre os pacientes internados na unidade e transferidos dos prontos-socorros, a redução foi de 250, em janeiro, para 36 (dado de segunda-feira (30/04). Os cateterismos infantis, que não estavam sendo realizados desde 2014, voltaram a ser feitos no HUFM.

Segundo a diretora do Francisca Mendes, Juliana Dias, o aumento na oferta de procedimentos se deu porque o Governo do Amazonas contratou mais profissionais para atender, além de adquirir materiais como OPMEs (Órtese, Próteses e Materiais Especiais). “Agora temos equipe específica para atender as demandas internas da unidade e temos outra para atender os pacientes da regulação. Isso aumentou significativamente a nossa oferta de procedimentos e a tendência é chegarmos ao fim do ano com essa fila ambulatorial da regulação com no máximo 20 pessoas”, disse.

Os procedimentos endovasculares (angiografia cerebral e embolização de aneurisma) também tiveram um aumento significativo este ano.

FOTOS: Diego Peres

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here