Venezuelanos que estavam abrigados no CETI de Humaitá, abandonaram o local durante a tarde desta segunda-feira (11)

Venezuelanos abrigados no CETI em Humaitá, denunciam maus tratos e falta de condições nos abrigos em foram acolhidos no município. Neste final de tarde em nossa cidade pelo menos 06 Venezuelanos decidiram abandonar os abrigos oferecidos pela Assistência Social.

A polícia militar e uma equipe de saúde se deslocou atrás dos mesmos para realizar exames do COVID-19 para que, os mesmos possam ficar livres circulando por nossa cidade. O líder dos estrangeiros conversou com nossa reportagem acerca de como eram tratados na Escola Estadual de tempo integral, onde está funcionando uma espécie de “abrigo” para alojamento de pessoas suspeitas de estarem contaminados com o COVID-19.

Exaltados e reclamando das condições em que foram alojados, os Venezuelanos reclamavam do alimento servido, da agua utilizada para o banho e para beber, falaram que o local é absurdamente quente e desconfortável, para que eles pudessem aguardar até serem despachados para Manaus, por estrada ou por meio de barcos de linha. Como as viagens para Manaus pela estrada está proibida e o transporte de barco também, os Venezuelanos pediram para voltarem a Porto Velho onde já recebiam abrigos e tinham melhores condições.

Os agentes de saúde realizaram os “testes rápidos” em todos os Venezuelanos na Praça Ipiranga onde funciona o Auto Posto Mangaba.

(Tentei várias vezes contato com agentes da secretaria de saúde, mas não obtive resposta sobre os resultados)

*BY ACRITICA DE HUMAITÁ*

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here