Professores se reúnem em todas as zonas da cidade para reafirmar grev

Da Redação do Amazonas1

Na manhã desta segunda-feira, 26, professores se reúnem em todas as zonas de Manaus para definir as ações do movimento grevista diante do que chamam de “intransigência” do governador Amazonino Mendes (PDT).

Professores em reunião do Sinteam decidem pela greve (Foto: Sinteam)

Na zona norte, a reunião ocorre na Praça São Bento, no bairro Cidade Nova. Na zona sul e centro-sul, o encontro é no Largo São Sebastião, no Centro da cidade. Já na zona centro-oeste, o encontro é no Centro de Convivência Magdalena Arce Daou, às 9h, enquanto outra reunião ocorre na zona leste, na quadra da Escola de Samba Grande Família, no bairro São José.

Leia também

Sinteam adere à greve dos professores iniciada pela Asprom

As reuniões são organizadas pelo Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Amazonas (Sinteam), que decidiu, na última quinta-feira, 22, pela deflagração da greve a partir desta segunda-feira.

Segundo o presidente do sindicato, Marcus Libório de Lima, a categoria está sem reajuste salarial desde 2015 e vem negociando com o governo de Amazonino há 25 dias.

“Apenas se comprova, de forma irrefutável, a posição intransigente do governo em relação à garantia do direito à data-base, além de pontos em que o mesmo se recusa a negociar”, afirma, em nota.

Sinteam adere à greve após Asprom

O Sinteam oficializou, na sexta-feira, 23, ao governo do Estado, a deflagração de greve por tempo indeterminado dos professores da Secretaria de Estado de Educação (Seduc).

A oficialização acontece no mesmo dia, em que a desembargadora Maria do Perpétuo Socorro Guedes Moura, da Segunda Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Estado do Amazonas (Tjam), deferiu liminar, determinando a suspensão do movimento grevista liderado pela Sindicato dos Professores e Pedagogos de Manaus (Asprom/Sindical), com multa diária de R$ 20 mil, ao limite de R$ 400 mil, caso a entidade descumpra a decisão.

Apesar do imbróglio entre as duas entidades representativas, ambos sindicatos afirmam que manterão as paralisações mesmo com a decisão judicial.

O Sinteam diz que a decisão só atinge a Asprom; já a Asprom diz que o movimento legítimo, decidido em assembleia.

Na manhã desta segunda, a Asprom fará nova assembleia, no Centro de Manaus, para decidir, junto com a categoria, se a greve continua. “Vamos recorrer da decisão judicial”, afirma a coordenadora geral da Asprom, Helma Sampaio.

fonte: amazonas1.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here