Professores da Seduc prometem deflagrar greve no dia 14 de março

Por Ddação do Amazonas1

Professores da Secretaria de Estado da Educação (Seduc) decretaram estado de greve, entre esta segunda-feira e o dia 13 de março, e prometem decretar a paralisação das atividades no dia 14 do próximo mês. A informação é do Sindicato dos Professores e Pedagogos de Manaus (Asprom Sindical).

Promessa de greve é para março
Professores esperavam proposta da Seduc (Foto: Divulgação)

A decisão foi tomada no último sábado, depois que o secretário da Seduc, Lourenço Braga, descumpriu a promessa feita aos professores de apresentar uma proposta de reajuste salarial, de acordo com o coordenador financeiro da Asprom, professor Lambert Melo.

Os professores querem que uma audiência com o governador do Amazonas, Amazonino Mendes (PDT), até o dia 13 de março. Caso não ocorra, prometem deflagrar a greve por tempo indeterminado. “No dia 13 faremos uma paralisação de advertência”, disse Lambert.

A concentração para a paralisação do dia 13 de março está prevista para acontecer em frente à Escola Estadual Dom João de Souza Lima, no bairro Cidade Nova 2, zona norte de Manaus.

Promessas
No último dia 15, o governo do Estado anunciou um pacote de medidas para área da educação.

Foram anunciados a realização de concurso público com 8,2 mil vagas, o pagamento da data-base dos professores em março e vale-alimentação para servidores da pasta.

O anúncio foi feito pelo secretário da Seduc, Lourenço Braga. De acordo com ele, o edital para o concurso público deve ser lançado em março, com data provável das provas em junho.

A estimativa é de que sejam abertas 8,2 mil vagas, incluindo para professores, técnicos e auxiliares administrativos, em todos os municípios do Estado.

Braga também anunciou que o governo do Estado pagará vale-alimentação para servidores da Seduc, o que hoje é feito apenas para técnicos e professores.

Outra promessa do governo do Estado é a manutenção da data-base para os professores, no próximo mês. A data-base é período do ano em que patrões e empregados representados pelos Sindicatos se reúnem para repactuar os termos dos seus contratos coletivos de trabalho.

Neste período, os trabalhadores podem, de maneira coletiva através do Sindicato, reivindicar a revisão de salário, apontar a manutenção do acordo, além de incluir novas cláusulas.

Fonte: amazonas1

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here