Administração de Amazonino se perde e David Almeida cresce

Governador Amazonino Mendes – Foto: Divulgação
Escrito por Redação I

Com uma administração desastrosa, sob pressões das greves dos professores, policiais militares, civis, agentes penitenciários e agora da saúde. Governador se perde por não saber dialogar com as categorias de servidores públicos estaduais, perdendo o controle da situação política do Estado.

Demagógico, falacioso, eleitoreiro, conservador e populista. Amazonino não avançou em nada no modo de fazer política, age como estivesse ainda nos anos 80 com os velhos valores já ultrapassados. Em vez de abrir o canal de diálogo com os servidores, faz ouvido de mercador e prefere investir em propaganda paga mal feita, mentirosas e com promessas mirabolantes tentando passar para a população que tudo está sendo resolvido no curto tempo, mas é o povo que sente na pele o descontrole do poder público para as áreas essenciais: saúde, educação e segurança.

Prefeitos e Interior

Para sair da crise o governador vem realizando reuniões com os prefeitos para cooptá-los com promessas que não poderá cumprir com o tempo que tem, pois, dos 58 prefeitos presentes na reunião no mês passado onde ele prometeu o investimento de 400 milhões, apenas 12 estão aptos para receber recursos. Ademais o prefeito da capital Arthur Netto (PSDB) seu principal aliado e cabo eleitoral rompeu com ele, e vem com tudo com sua metralhadora giratória, já denunciou que o prefeito não cumpriu com o compromisso de investir 100 milhões em infraestrutura em Manaus e ainda está devendo cerca de 700 milhões de repasse obrigatórios estaduais ao município.

Em viagem para os municípios de Boa Vista dos Ramos e Parintins, o governador sentiu que seu governo está desmoronando. Os professores de greve recepcionaram com cartazes contrários ao governo e dando vaias durantes os eventos.

David Almeida cresce

Enquanto Amazonino não consegue governar, David Almeida vem colhendo frutos políticos daquilo que semeou quando esteve à frente do governo, recentemente fez um balanço da sua gestão quando esteve a frente do governo, afirmando que ele quando foi governador interino por 5 meses, se consolidou como uma nova liderança política no Estado junto aos prefeitos, lideranças municipais, comunitárias e principalmente junto aos servidores das áreas de Segurança Pública, Saúde e Educação quando atendeu suas reivindicações neste período.

“Tudo aquilo que nós plantamos quando estive a frente do governo do Estado estamos colhendo. É possível sim viver num Estado melhor, é possível reconhecer os direitos dos servidores públicos. O Estado do Amazonas vive numa fervência dos servidores públicos que eram enganados pelo governo, toda vez dizia que não tinha dinheiro para pagar servidor público.

Nós fizemos a maior promoção da polícia militar, em plena crise nós fizemos a maior promoção para o corpo de bombeiros, pagamos a dívida atrasada com os policiais civis e demos o reconhecimento necessários aos professores do Estado do Amazonas pagando até 20 mil reais para professores com abono salarial”, afirmou o deputado.

Fonte: correiodaamazonia

1 COMENTÁRIO

  1. Poxa, não vai comentar a prisão dos extrativista minerais e demais inocentes (prefeito, vice e vereadores)?
    As arbitrariedade da PF não merecem comentário isento e imparcial?

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here